domingo, 4 de janeiro de 2015

O MUNDO AINDA TEM JEITO?

           Quando falo com alguém sobre política ou religião e acaba-se tocando na questão do atual estado de coisas, algumas pessoas mostram uma grande falta de esperança e falam que o mundo não tem mais jeito.
            Sinceramente eu não sei se o mundo tem jeito ainda ou não; não sei se estamos na etapa final do mundo onde tudo piora e Deus volta inesperadamente ou se estamos numa perturbação passageira que, ao acabar, cederá espaço a uma nova fase; tampouco sei se estamos próximos daquilo que Nossa Senhora chamou de triunfo do seu imaculado coração.
            O que sei é que o PT e outros partidos comunistas estão acabando com as raízes cristãs do Brasil; que o comunismo, embora sem fôlego para novas aventuras intelectuais (segundo Olavo de Carvalho), continua muito vivo politicamente; que uma reação conservadora está se esboçando e que a Doutrina Tradicional da Igreja está se espalhando de modo discreto principalmente entre os jovens.
            Nesse mundo passageiro não sei o que acontecerá, só sei que ao final de tudo a vitória eterna de Deus se manifestará. Como então ficará a situação daqueles que haviam perdido as esperanças?
            Ser católico não é ter a certeza de uma vitória temporal (embora devamos buscá-la com todos os meios justos e em conformidade com os mandamentos), mas da vitória eterna que não ocorrerá apenas no fim dos tempos, senão que já ocorreu desde a criação e ocorre a cada instante e que se manifestará em todo o seu esplendor no juízo final.
            Não quero presenciar os horrores atuais sem lutar, nem ficar divagando em torno dos resultados futuros, positivos ou não, da nossa ação contra revolucionária. Quero continuar lutando de acordo com a vontade de Deus; sei que muitas vezes sou covarde e não dou tudo de mim, mas gostaria muito de ser melhor soldado.
            Não me parece que os santos estivessem tão preocupados em saber se o mundo ainda teria jeito ou não, certamente sua maior preocupação era agradar a Deus. Alguns conseguiram combater eficazmente os erros do seu tempo, outros não, mas todos, com a graça de Deus, salvaram suas almas e contribuíram para salvar muitas outras. Quem ousaria dizer que não foram vitoriosos, já que em última instância o que importa é a salvação das almas?
            Como disse Jesus, Nosso Senhor: “Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus.” (Lucas 9, 62). Quantos não estão olhando para o tamanho do desafio e desconfiando do poder de Deus, acabam então disparando que o mundo não tem mais jeito, sem perceberem que a única coisa que conseguem com essa mentalidade é piorar o mundo ainda mais. Passam para o lado do inimigo e não raro tornam-se pecadores impenitentes,  abandonando os sacramentos de Deus e conseqüentemente Sua Graça.

            Chego finalmente à conclusão de que muitos daqueles que dizem que o mundo não tem mais jeito é por que perderam eles mesmos a esperança de tornarem-se santos, acabam então agindo de acordo com sua certeza do estado irreversível do mundo, isto é, ironicamente passam a agir de modo a apodrecer o mundo ainda mais.