quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Entrevista Concedida ao Grupo Dom Bosco

    Entrevista abordando os embates com a ideologia de esquerda na escola, o estado de coisas da educação atual e o que se poderia fazer para lutar contra esse estado de coisas.


segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Fui Afastado do Colégio Por Rezar o Pai Nosso, Criticar o Comunismo entre outros motivos

       Na quinta feira (06/11) começou uma sucessão de acontecimentos que marcarão para sempre a história da minha vida. Foi na manhã desse dia que recebi formalmente o comunicado do diretor auxiliar do Colégio Mitre, de que estava afastado do colégio (estava à disposição do núcleo regional de educação). A partir daquele momento eu poderia ir embora.
        Saí de sua sala e fui andando pelo colégio avisando meus aluno do ocorrido, eles então tomaram a iniciativa de fazer uma manifestação a meu favor no outro dia às sete e meia da manhã, na qual rezariam um Pai Nosso no lugar principal da escola.
        A coisa tomou grandes proporções nas redes sociais entre os alunos e eu também resolvi comunicar a imprensa. Durante esse dia rezei bastante, mas mesmo assim o medo e a apreensão fizeram-me sofrer muito. Mandei fazer uma faixa dizendo: "Deus tem o direito de ser louvado também publicamente". Escrevemos ainda em cartazes as sete petições do Pai Nosso. 
        No outro dia às 7:30 da manhã chegamos ao colégio eu, minha mãe, a Jaque, a Luna e a Maria. Uma aglomeração considerável já havia se formado, a imprensa entrou na escola, a faixa e os cartazes foram entregues aos alunos. Então nos reunimos no saguão principal e a primeira coisa que fizemos foi rezar um Pai Nosso. Logo em seguida eu li um discurso (Reproduzirei o mesmo no fim desse texto). Mas antes expliquei toda a perseguição que sofri por rezar o Pai Nosso antes de começar a aula e também por outras posturas cristãs que sempre adotei. Para terminar rezamos o Pai Nosso mais uma vez. 
         Os alunos gritaram o meu nome, seguravam folhas que diziam "queremos Welder", alguns choraram. 
        Quando o diretor auxiliar foi dar a entrevista, iniciou-se uma espécie de debate entre ele e os alunos que os cercavam (cerca de quinze alunos), os alunos contestavam suas teses laicistas com grande ousadia e desenvoltura, logo depois ele virou as costas e saiu, e os alunos o enfrentaram com mais um Pai Nosso estrondoso. 
         Fizemos um abaixo assinado e conseguimos cerca de 250 assinaturas entre alunos, professores e funcionários. Circulei pelo colégio, cumprimentando os alunos e agradecendo. 
        Depois de tudo isso fui chamado na sala para falar com quatro mulheres do núcleo, a secretária da escola, o diretor, o diretor auxiliar e as três pedagogas da escola , todos dispostos a encontrar em mim qualquer defeito, qualquer fala, qualquer detalhe insignificante para fazer subir às alturas as acusações contra mim e desviar o foco do essencial: o aspecto religioso da questão. Então me readmitiram na escola, mas ficou claro para mim que iniciarão uma perseguição ainda mais acirrada.
        Para mim, a manifestação, a pequena vitória de poder voltar a dar aulas é uma vitória de Deus, pois pelas minhas próprias forças eu não teria conseguido nada disso. Só Deus sabe o quanto meu exemplo tocou no coração daqueles jovens que, na maior parte do tempo, são bombardeados com ensinamentos deformadores. Só Deus sabe o quanto Ele mesmo utilizou esse acontecimento para converter as pessoas ali presentes. 
          Na vida de Jesus houve também momentos de derrota e vitória, por exemplo, ele foi crucificado e ficou três dias morto, parecia estar totalmente derrotado, mas depois de três dias veio a gloriosa ressurreição. Jesus foi aclamado no domingo de ramos, mas depois foi rejeitado a favor de Barrabás, ora estava acompanhado por muitos, ora fora abandonado por todos em sua agonia (quando suou sangue). O cristão é chamado a reproduzir em sua vida essas mesmas contradições, até a vitória final, e com a Igreja ocorre o mesmo.
        Desde que comecei a dar aulas sofri pressões para parar de rezar o Pai Nosso, mas sempre me recusei. Sofri pressões também por criticar estilos musicais decrépitos como o rock, o funk, o sertanejo universitário, etc. Sofri pressões também por defender que a Filosofia é a busca da verdade, e também por criticar a postura ditatorial do movimento gayzista; o relativismo também era uma das coisas criticadas por mim, entre outras desgraças espalhadas atualmente em nossa sociedade. As pressões viraram de fato perseguição quando fui afastado do colégio Mitre, cujo estopim foi uma prova na qual eu pedia para os alunos falarem sobre as mortes causadas pelo comunismo, identificassem as bandeiras defendidas por esse movimento, bem como discorressem sobre a importância do ódio para a revolução comunista, disseram que tal prova era tendenciosa.
       Vou continuar, enquanto Deus me der forças, defendendo a verdade.
       Sou católico apostólico romano!!! Viva Cristo Rei!
       Segue-se o discurso que li no dia para os alunos:
       " Estamos hoje aqui em uma manifestação, mas não uma manifestação como outra qualquer, que reivindica apenas vantagens materiais. A reivindicação dessa manifestação é a liberdade de rezar o Pai Nosso, de se opor aos males que o marxismo e os grupos de esquerda vem causando ao nosso país, e também a liberdade de ensinar que existem sim a verdade, a sabedoria e a virtude. Portanto a finalidade principal dessa manifestação não sou eu, mas a glória e os direitos de Deus que são sistematicamente ultrajados num modelo de educação cada vez mais materialista e anti cristão.
        Quando São Paulo, antes de sua miraculosa conversão, perseguia cristãos, Jesus apareceu para ele e disse: "Paulo, porque me persegues? Indicando claramente que perseguir um cristão é perseguir o próprio Cristo. A partir de ontem, quando recebi formalmente o comunicado de que estava afastado do colégio, Cristo foi aqui perseguido, pois foi a oração ensinada por Ele que foi proibida nesse estabelecimento. E eu, como servo dEle, fui enxotado como um elemento nocivo, como um doutrinador fanático que se ocupa apenas a propagar as próprias ideias. A perseguição que sofro é leve comparada aos mártires cristãos que morrem aos milhares em defesa da fé todos os anos, Cristo os olha e repete a mesma pergunta; " Por que me persegues?" E une aos seus sofrimentos, o sofrimento infinito que suportou na cruz.
         Mas por que tudo isso aconteceu? meus alunos se perguntam. Por que o professor Welder não pode mais dar aulas? Agora direi então sumariamente as acusações que pesam contra mim:
1- Não posso mais dar aulas em primeiro lugar porque rezo o Pai Nosso antes de começar as aulas, lembrando que nunca obriguei ninguém.
2- Não posso mais dar aulas porque ensino que a finalidade da Filosofia é encontrar a verdade e a virtude.
3- Porque me recuso a contribuir com as diretrizes que são colocadas sorrateiramente na escola para destruir a moralidade dos alunos, bem como sua fé.
4- Por que não escondo os crimes praticados pelo comunismo contra a humanidade.
5- Por que defendo a família pensada por Deus.
6- Enfim, porque sou católico.
         Devemos ficar alertas se quisermos ter um Brasil livre da ditadura comunista, pois o esforço para excluir da vida pública todos os cristãos será cada vez mais incansável e cruel.
         Quanto aos meus alunos aqui presentes, sabem que, tirando alguns momentos normais de rispidez, sempre os tratei com o maior respeito, e minha forma de trabalhar nunca foi motivo de conflito nem de ódio, a prova disso é que estão aqui em peso me apoiando tanto os que rezam quanto os que não rezam, pois reconhecem que cumpri meu dever. Quanto aos meus colegas professores também nunca desrespeitei ninguém e nem fui desrespeitado, alguns hoje me apoiam e eu agradeço, agradeço também primeiramente a Deus por tudo que me concedeu, agradeço minha família e também todos os meus alunos que se arriscaram por mim e não me deixaram sozinho nesse momento difícil.
           Se Deus quiser quero voltar a percorrer os corredores do Colégio Mitre encontrando meus alunos e dizendo as frases que sempre dizia: "Sempre em busca do conhecimento?"; "Sempre em busca da sabedoria?"; "Sempre em busca da virtude, do bom do belo e do perfeito?" ou então ser chamado pelo apelido que eles mesmos me deram: "Professor virtuoso!"
          Se não for possível isso me despeço com tranquilidade, com a consciência limpa, deixei uma mensagem bela de esperança e de amor a Deus no coração dos meus alunos. Graças a Deus não levo rancor de ninguém, seguindo a máxima de Cristo: "Amai aos vossos inimigos, fazei o bem aos que vos odeiam, rezai pelos que vos perseguem."
         E se não nos encontrarmos mais, a última coisa que gostaria de dizer para os meus alunos e todos os presentes é o seguinte: "De que adianta a homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?"  lembrar que essa vida é passageira e depois dela nos aguarda a eternidade, e a pergunta que fica é: "Onde passarei minha eternidade?"
         Portanto estudem, busquem a verdade, rezem, amem a Deus de todo o coração, sejam virtuosos, amem sua família, sejam castos e quem sabe assim um dia Deus possa fazer do Brasil uma nação melhor, mais livre, mais virtuosa, mais inteligente e mais cristã.
        Encerro por aqui essas breves palavras, obrigado a todos.
        Viva Deus, Viva Nossa Senhora, Viva o Brasil.


sábado, 11 de outubro de 2014

QUEM VOTA NA DILMA OU É IGNORANTE OU MAU CARÁTER!



          Santo Tomás de Aquino definiu o bom governo com aquele que contribui para que o homem alcance seu fim último (a vida eterna). O PT tem feito exatamente o contrário, isto é, tem contribuído decididamente para a perdição das almas. Por isso, como bom católico e homem de boa vontade que procuro ser, digo sem titubear que estou convencido de que quem vota na Dilma (ou no PT, ou ainda partidos que seguem sua linha ideológica) ou é um ignorante ou um mau caráter. Caso seu problema seja a ignorância espero poder ajudá-lo com o texto que se segue. Ao final deste texto poder-se-á encontrar link para um ótimo material reunido pelo Felipe Moura Brasil a respeito do Foro de São Paulo.
            Encontro muitas pessoas que defendem o PT alegando conquistas econômicas e a suposta atenção que o partido tem dedicado aos mais pobres. Sinceramente não estou apto a fazer uma análise do governo do PT nesse sentido, mas quero colocar em questão algo muito mais importante que economia, quero falar sobre o governo do PT no plano religioso, moral e político. Quero também perguntar se um governo se justifica, se pode ser considerado bom, se promove avanços econômicos, (embora sejam avanços discutíveis no caso do PT) mas ao mesmo tempo solapa tudo aquilo que consideramos como mais sagrado como a família, a religião e a liberdade.
Depois dessa pequena introdução vejamos então as bandeiras de perversidade defendidas pelo PT, suas parcerias criminosas e seus planos macabros para o Brasil.
Primeiramente devemos saber que o PT tem uma tradição comunista arraigada e indiscutível. Pode-se ver isso pelas idéias que defende, pela linguagem que usa nas discussões internas e pelas parcerias que cultiva. Deve-se lembrar que o comunismo é tradicionalmente ateu e inimigo irreconciliável da religião tendo matado e perseguido milhares de cristãos pelo mundo afora, foi condenado decididamente por vários papas, sendo que a Igreja decretou que quem contribuísse com o comunismo seria excomungado automaticamente, não podendo se aproximar dos sacramentos (pode-se encontrar no youtube um vídeo chamado “A Resposta Católica: ser comunista é motivo para excomunhão?”).
O PT integra uma organização chamada de “Foro de São Paulo” uma das mais poderosas organizações políticas do mundo, criada em 1990 por Lula e Fidel Castro essa organização tem decidido descaradamente o destino político de toda a América Latina, violando assim a soberania dessas nações sem dar a mínima satisfação às suas populações. O Foro de São Paulo conta ainda com a participação de organizações criminosas como as Farc, que tem infectado todo o continente com drogas. (As provas cabais, inclusive com confissões de seus próprios fautores, encontram-se no resumo a respeito do Foro de São Paulo feito pelo jornalista Felipe Moura Brasil, cujo link se encontra ao final do texto).
O PT defende a legalização do aborto, alegando que essa prática inaceitável é um direito da mulher e uma mera questão de saúde pública. Qualquer pessoa sensata sabe que o aborto é um assassinato cruel e covarde seja qual for o caso, no entanto o PT e outros partidos da esquerda defendem sua legalização dizendo que a mulher tem o direito de decidir. Uma rápida pesquisa na internet é suficiente para não deixar dúvidas de que o PT realmente apóia a legalização do aborto e tem feito muito para que a legalização se torne cada vez mais ampla. (Dilma num vídeo do youtube enrola bastante, mas acaba deixando claro que é a favor de se criar no sistema público brasileiro condições para se fazer o “aborto seguro” para que as mães assassinas não corram risco de vida ao matar seus próprios filhos; recomendo ainda o pequeno filme chamado “O grito silencioso” que mostra um bebê de três meses que defende sua vida do aparelho cirúrgico que invadiu sua morada para matá-lo barbaramente).
O governo do PT legalizou a união civil entre pessoas do mesmo sexo, ou para dizer de modo mais popular, o casamento gay. Além de inconstitucional, (pois a constituição entende claramente o casamento como a união entre homem e mulher) essa medida significa a tentativa de solapamento da família, tentando criar novas modalidades familiares em clara oposição ao projeto de Deus.
Através de cartilhas elaboradas pelo Mec, o PT tem feito um verdadeiro estrago na moralidade das nossas crianças e jovens, ensinando-os a promiscuidade e disfarçando seu diabólico expediente com a máscara de “educação sexual”, além de é claro ensinar como absolutamente normal e até mesmo bonita a prática da homossexualidade, sob o disfarce de combater a suposta “homofobia”. Os pais desavisados e omissos sequer sabem o que seus filhos estão aprendendo na escola, mas se soubessem certamente opor-se-iam, por isso o governo não tem nenhum interesse em que os pais conduzam a educação de seus filhos, por isso o governo da Dilma obrigou os pais a mandarem seus filhos para a escola já aos quatro anos de idade.
O PT é favor da legalização das drogas, já que tem interesse em beneficiar as Farc e dar-lhe esse imenso mercado que é o Brasil. O PT defende essa bandeira abertamente.
O PT almeja o controle da imprensa como está claramente descrito no PNDH feito no governo Lula, além disso também quer fazer uma reforma política para dissolver as instituições democráticas como o congresso e criar “assembléias populares”, o que seria melhor chamado de sovietes, onde os únicos que terão vez serão certamente apenas os militantes de esquerda.
Está aí então resumidamente o que é o PT, um partido que parece ter vindo diretamente do inferno para defender as piores causas possíveis. Muitos acham essas bandeiras muito belas e acreditam que nelas se encontram a libertação da humanidade e um rompimento com o obscurantismo, esses votam no PT conscientemente e com eles não se pode conseguir progresso significativo com um simples texto. Mas temos aquelas pessoas ignorantes, donas de casa, aposentados, até mesmo pessoas de certa cultura acadêmica, que sequer imaginam que tudo isso esteja acontecendo, recusam-se mesmo a acreditar quando apresentamos tais fatos, acostumaram-se a pensar em política como uma mera extensão da economia, e desconhecem completamente a engenharia social em andamento. Por elas temos de fazer um grande esforço e caridosamente apresentar os fatos acima, e mostrar que não é possível ser cristão e votar no PT.
O PSDB não é uma alternativa à altura daquilo que Deus pensou para o homem, no entanto nesse momento representa aquele mal menor que devemos escolher quando estamos diante de dois males.
                                                                                                                                   
Ps: Todas as informações dadas acima podem ser encontradas fartamente na internet e mesmo o mais cético dos leitores se convencerá de sua veracidade, pois é o próprio PT que levanta suas bandeiras putrefatas, pois acham bonito ser feio, são eles mesmos que confessam seus crimes.

sábado, 6 de setembro de 2014

Vida intelectual - Continuação



O Trabalho Permanente

            Assim como a oração é o desejo de encontrar Deus, o estudo é o desejo de encontrar a verdade. Obviamente não é possível estudar (no sentido estrito do termo) durante todo o tempo, mas é possível manter o espírito levemente concentrado, refletindo sobre os fatos da vida e assim estar sempre buscando a verdade.
            Cada fato, palavra, paisagem, ser humano são pistas para a verdade, é preciso saber vê-los com um olhar perquiridor e acostumar a mente às reflexões e tirá-la de suas divagações inúteis e desordenadas. É preciso também aprender a ouvir, pois um rude camponês pode demonstrar muita sabedoria.
            Ao contrário do que se poderia pensar, estar sempre à procura da verdade e desejando-a conscientemente, não esgota o espírito, pois de qualquer maneira estamos sempre pensando em algo. A diferença é que quando pensamos na verdade e direcionamos o intelecto na sua busca, apenas pensamos de modo direcionado, o que pode ser mais suave que o pensamento caótico de um cérebro perturbado. “o meu jugo é suave e meu fardo é leve”.

O Trabalho Noturno

            O sono pode colaborar com o trabalho feito durante o dia. É preciso colaborar com o sono para que ele possa colaborar com o estudo. Um pouco antes de adormecer e um pouco antes de acordar, importantes inspirações podem ocorrer, é preciso anotá-las e não deixar o sono ser perturbado.
            Antes de dormir é salutar também estabelecer um ponto de meditação que estará amadurecido ao levantar, lembrando que o sono nada cria, apenas combina e amadurece o que já foi plantado.
            Se o sono for assim bem regrado, poderemos esperar que se cumpra o ditado que diz “a noite é boa conselheira”. Essa espécie de repouso reparador nos adiantará o trabalho e completará muita coisa que começamos durante o dia.


A Madrugada e Os Serões.

            Dois momentos são de suma importância para o intelectual: o começo do dia e o seu fim. Cada um desses momentos devem ser preparados e vividos com sabedoria.
            A manhã é o momento de começar o dia e isso deve ser feito com oração, meditação e, caso possível, a missa.
            A noite é o momento de repousar. Mas antes de repousar é necessária uma boa preparação: não é recomendável gastar as horas finais do dia em atividades ruidosas, mas entregar-se ao recolhimento (ao exame de consciência) e à preparação do dia seguinte.


Os Instantes de Plenitude.

            Os assuntos concernentes aos momentos de descanso e preparação já foram abordados, resta agora falar do momento de trabalho propriamente dito.
            O intelectual deve reservar um tempo diário para o estudo segundo suas possibilidades. De preferencia que seja de manhã, pois não estará envolvido com distrações e estará descansado. Preparado esse tempo, nele deverá dedicar-se com afinco e concentração, sem deixar que ninguém nem nada o distraia, esse tempo é sagrado.
            Duas horas devem bastar para levar a cabo uma boa obra, desde que bem aproveitadas.
            Antes de começar algum estudo devemos ter pesado bastante se o conseguiremos levar a termo, pois devemos acabar tudo o que começamos senão viciaremos o nosso espírito e seremos inconstantes.

sábado, 3 de maio de 2014

Vida Intelectual - Continuação



Cooperar com seus iguais

            Para que a solidão seja realmente salutar ela precisa ser enriquecida pelo amor ao próximo. Quando nos afastamos do ruído dos homens promovemos a verdadeira e fraterna união; por outro lado, quando nos encontramos com outros que buscam a verdade enriquecemos nossa solidão.
            Por isso, por verdadeiro amor ao próximo, devemos cultivar a solidão, mas esta deve ser temperada por encontros selecionados com outros, que como nós, buscam a verdade.
            E então, nessa solidão e nessa companhia, onde encontramos Deus, nós mesmos e o próximo, estaremos auxiliando a humanidade.

Manter o silêncio interior

            Toda a ação do intelectual deve estar bem dosada e direcionada pelos momentos de estudo, solidão, recolhimento e reflexão.
            Contudo, o estudioso atentará para o “espírito de solidão” e não estritamente para a solidão tida como isolamento. Duas horas diárias bastam para a concentração totalmente solitária, o resto do tempo pode-se estar em “estado de solidão”, isto é, mesmo no tumulto da vida manter-se em serenidade e silêncio interior.
            Assim como é possível estar no tumulto com o espírito silencioso e solitário, é possível também estar sozinho, mas com o espírito perturbado, barulhento e confuso. Por isso, o intelectual deve estar atento para o verdadeiro significado do silêncio e da solidão para melhor os praticar em benefício de sua vocação.

domingo, 6 de abril de 2014

Vida intelectual - continuação



Simplificar
           
O intelectual, devido à natureza de sua tarefa, deve velar para manter uma vida simples, tanto interiormente, quanto exteriormente. Para isso precisa renunciar ao luxo, aos tumultos de toda ordem, às frequentações sociais excessivas, etc.
            A mulher do intelectual deve ajudá-lo nessa empresa, pois as brigas podem ser fatais para o bom andamento de uma obra. As crianças, embora atrapalhem às vezes, podem ser um grande sinal de esperança, integridade, inocência e alegria.

Guardar a solidão

            Uma das questões essenciais para a busca da verdade é o cultivo da solidão e do silêncio. Devemos valorizar a solidão e o silêncio e desprezar a dispersão advinda da multidão e do burburinho.
            Quando cultivamos a solidão nos aproximamos de nós mesmos e no conhecemos melhor, além de organizarmos melhor as nossas ideias, o que não se consegue fazer se vivemos em contatos sociais exagerados, sempre agitados pelo tumulto do século.
            Nenhum sábio ignorou a lei que nos impõe o silêncio e a solidão como atitudes que dispõe melhor nossa alma para o encontro e contemplação da verdade. Lembrando que a solidão não é o isolamento.
            De preferência manter contato com amigos que também estudem, para que assim se possa trocar ideias e aproveitar bem o tempo. Lembrando que mesmo em contato com os homens deve-se guardar um espírito de recolhimento e de oração.