quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Quando vivia sem Deus

Quando vivia sem Deus, amava sem coração,
Ousava sem coragem
Vivia sem respirar
Estudava sem sabedoria
E pecava sem medo.

Quando vivia sem Deus, contemplava sem beleza
Ponderava sem justiça
Reivindicava sem razão
Buscava sem anseio
Encontrava o indesejado
Matava a fome com vento
E procurava o que não se pode achar.

Quando vivia sem Deus
Procurava iluminar minhas trevas
Com uma luz exterior,
Da qual não sabia a origem,
Depois descobri que essa luz
Não se pega de passagem ou de maneira acidental,
Deve ser colhida na fonte,
Por isso, nunca poderia tê-la encontrado.

Sem Deus...
Quando vivia sem Deus
Pensava que a distância que percorria era real.
Pensava que repousava ao dormir
Pensava que meus olhos enxergavam
Pensava que minha boca falava
E embora nada disso fizesse, tinha uma impressão tão real...

Alguma coisa me faltava...
Um braço, uma mão, um chinelo.
Estava despedaçado
Quando vivia sem Deus.

Olho hoje a Cruz do meu quarto,
Minha Bíblia Sagrada,
Meu terço e São Francisco.
Olho para Cristo num paraíso que desconheço
E pergunto: Vivo hoje com Deus?
Estar com Deus...
Não estou com Deus, apenas o busco
Mas Ele está comigo, porque sempre me buscou
Chamou-me à existência, pegou em minha mão,
Mas um dia não o vi mais ao meu lado
Meu pecado me cegou
Esqueci do meu Deus, do seu rosto.
Hoje novamente o busco, quero estar com Ele
Como Ele está comigo.
A esperança me diz que o encontrarei
A fé dá-me força e faz-me ouvir sua voz,
A caridade aconselha-me.

Quando vivia sem Deus estava morto
Sepultado no pecado
Quando viver com Deus saberei a verdade
De todas as coisas.
Enquanto isso, nada sei,
Por isso é Ele quem me guia
Pois não pode guiar-se
Quem está morto, cego, estropiado, coxo,
Deus disse-me “levanta-te e anda”
Foi quando comecei a buscá-Lo
Mas não deixei de ser um defunto,
Que anda só porque Deus, misericordioso, permite.
Haveria então, maior soberba para um defunto
Que querer, após ser ressuscitado, andar por si próprio?
Por isso quero andar
Por onde aquele que me ressuscitou ordena.
Obedecer-lhe para não cair jamais.
Senhor, que eu faça a tua vontade.
Para que eu tenha Vida
E a tenha contigo.

O Conhecimento do Mal, por Welder Walmor Ayala

http://www.youtube.com/watch?v=Wm1B6Y5nQYk&feature=youtu.be